O ano do novo ensino médio

                                                                                                                                                                                          Por Mendonça Filho, 

   2022 chegou e com ele a tão desejada implementação do novo ensino médio em todo o país. A Educação brasileira terá a oportunidade de dar um grande passo na caminhada para diminuir a distância entre a escola e o aluno, tornando o ensino médio mais próximo dos desejos dos jovens. Sai de cena um modelo sem conexão escola/aluno, com altas taxas de evasão escolar. Entra o novo ensino médio apontando para o futuro: divisão de conteúdo por áreas de conhecimento, itinerário formativo, formação técnica e projeto de vida.

    Estava mais que na hora dessa mudança acontecer! O país perdeu mais de 20 anos debatendo a reforma do ensino médio sem chegar a um consenso. Em 2016 quando assumi o Ministério da Educação afirmei que o ensino médio iria mudar e lançamos a proposta de reforma. Em 2017, o Congresso aprovou a medida e a Lei do Novo Ensino Médio foi sancionada pelo presidente Temer, incluída a política nacional de escola em tempo integral. Maior reforma na educação do Brasil, desde a Lei de Diretrizes e Bases, a reforma do ensino médio era urgente e relevante. Adiá-la comprometeria uma geração de jovens, enredada em um sistema de baixa qualidade, com os piores resultados de aprendizagem da educação básica.

    Por Lei, o novo modelo entra em vigor, a partir de agora, em todo o país. Na prática, dificuldades de toda ordem, desde a pandemia, a mudanças no direcionamento no Ministério da Educação, disponibilidade de recursos e organização de redes, apontam que o novo ensino médio começa a chegar de forma desigual nas salas de aulas pelo Brasil afora. Em algumas redes já está sendo experimentado, em outras corre o risco de não cumprir o prazo previsto. 

    Vale registrar o esforço, mesmo com inúmeras dificuldades, das redes de educação, dos conselhos, das ONGs de educação, de educadores e especialistas, ao longo dos últimos cinco anos, para cumprir as diversas etapas necessárias para a sua implementação. Os desafios são enormes para as redes e algumas precisam de apoio para cumprir o cronograma. O Novo Ensino Médio começa a ser implementado, de acordo com o MEC, pelas turmas do primeiro ano em 2022.  Segue com as turmas de segundo ano, em 2023 e as de terceiro ano, em 2024.

     A desigualdade na implementação é muito preocupante e vai exigir uma grande mobilização da sociedade para garantir que o ensino chegue a todos os alunos de maneira igual.  O Novo Ensino Médio é um modelo que caminha na direção certa: dialoga com o jovem, com suas expectativas de vida, suas vocações e as demandas profissionais do mercado de trabalho.  Vai impactar positivamente a vida de milhões de jovens brasileiros. É urgente e relevante.

Mendonça Filho, ex-ministro da Educação e consultor da Fundação Lemann.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.