Livre mercado para uma sociedade mais próspera

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), cada Real investido na indústria representa R$ 2,43 para a economia, enquanto o que no agronegócio rende R$ 1,75 e nos serviços R$ 1,49. Os benefícios chegam em forma de emprego, investimentos na cadeia de suprimentos e logística, divisas e tributos. Por todos estes benefícios à sociedade, as empresas também são recompensadas pelo lucro, que gera ainda mais riqueza quando uma parcela é reinvestida na diversificação e capacidade produtiva.

A livre concorrência e seus resultados econômicos também beneficiam as próprias empresas, uma vez que, para conseguirem competir, precisam investir constantemente em conhecimento, tecnologia, recursos humanos e capacidade produtiva. Uma verdadeira espiral de crescimento que também favorece a igualdade de oportunidades e crescimento para os trabalhadores.

dois homens em ternos elegantes falando de negócios

Repare que mesmo os custeios sociais dos governos, como saúde, educação, seguridade social, ou mesmo distribuição de renda, só ocorrem por que empresas privadas abrem suas portas todos os dias para produzir bens e serviços, que representam trilhões de reais anuais em impostos, diretos e indiretos, que financiam o funcionamento do governo. Se não é perfeito, o livre comércio ainda é a melhor opção já constituída pela humanidade para o desenvolvimento econômico e social. 

Por outro lado, o livre mercado precisa de um ambiente de negócios favorável para prosperar e gerar riqueza para todos. O Brasil é uma enorme matriz produtiva mundial, mas tem sérias dificuldades de competir em muitos setores por falta de infraestrutura e de uma legislação que incentive o empreendedorismo, bem aquém dos países mais desenvolvidos, celeiros das empresas mais competitivas do mundo.

Porém, nada atrapalha mais a livre iniciativa brasileira do que nosso sistema tributário confuso e o Estado ineficiente, que consomem uma grande parte da geração de riquezas e retornam muito pouco para a sociedade. Só conseguiremos, finalmente, deslanchar nossa capacidade de geração de riquezas quando evoluirmos para um sistema tributário mais racional, simples e justo, que desonere fortemente o trabalho e aumente a base contributiva de forma consistente.

Portanto, a equação do livre mercado, dada como a mais eficaz desde a queda do Muro de Berlim, tende a criar as condições necessárias para a geração de concorrência diversificada, de investimentos e de riqueza para a sociedade como um todo, com melhor qualidade de vida. Para isso, precisamos melhorar, e muito, as condições de nossa infraestrutura, a legislação e o sistema tributário. Assim, a equação dará o melhor resultado para todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *